Leitores, eis uma imagem que descreve bem meu cotidiano no meu próprio apartamento nos últimos meses antes de ter sido abandonado pelo meu Mestre.

Imagem

Às vezes acordo muito triste à noite, pensando que outro escravo sortudo está tendo o prazer de deixar os pés suados e cansados dele relaxados depois de um dia inteiro de trabalho. Eu lembro perfeitamente do cheiro do chulé, de como ele me tratava como um verme inferior, de como ele me desprezava, e de como eu dava tudo que eu tinha a ele. Ele ria de maneira cruel ao ver como eu tinha prazer sexual ao lamber e limpar a sujeira que ficava acumulada entre os dedos perfeitos dele. Eu comprava as melhores roupas, os melhores equipamentos tecnológicos e as melhores bebidas para ele. Mas nada disso o fez pensar duas vezes antes de passar a humilhar outro escravo que tinha mais a oferecer.

Estou tentando me recuperar, pensar que existem outros mestre por aí, como o perfeito Mestre Otamir, mas é difícil esquecer o cheiro do suor dele. Meu vício por lambê-lo é muito grande. Só me restaram algumas de suas meias, que ele deixou pra trás. Eu me masturbo muito cheirando-as, mas o cheiro delas fica mais fraco a cada dia e vai desaparecendo =(

Finalmente #2

abril 14, 2014

Leitores,

como é gostoso você sempre querer assistir a um video podólatra e finalmente encontrá-lo dando sopa na internet! Lembram que eu havia falado sobre este filme antes, neste post aqui?

O video não me decepcionou nem um pouquinho. Gozei nos primeiros minutos dele. O escravo é extremamente sortudo e geme de prazer. O mestre tem chulé, é cruel com o escravo e exige que seus pés sejam limpos!

 

Captura de tela 2014-04-14 às 15.04.38

Eis o video aqui!

Leitores, vamos aproveitar antes que seja removido do ar!

Boas gozadas!

Leitores, eu sei que faz tempo que não publico nada aqui. Depois escrevo um post falando o porquê: é que eu estava sendo escravo fixo de um mestre muito cruel, que não permitia que eu desse prosseguimento ao blog. Foram meses de humilhação no meu próprio apartamento aqui em São Paulo, onde eu transformava meu mestre num Rei. Mas há quase um mês ele se cansou de mim e adotou outro escravo. Agora aos poucos posso voltar a publicar aqui. Agradeço a todos os que mandaram mensagens pedindo para eu não parar. Eu fiquei muito triste com a rejeição do meu mestre. Mas na última semana, no início de abril, fui a um encontro de Pedagogia no RJ e tive uma experiência que me deixou feliz de novo. Vou contar.

 

Como estava sem mestre depois de tanto tempo, voltei ao meu perfil do Facebook pra ver se conseguia encontrar alguém na Cidade Maravilhosa. E não é que dei a sorte grande de, durante uma tarde, ser escravo de um dos moleques mais lindos que já vi? É o Mestre Otamir. Explico porque sorte: ele é um dos mestres mais caprichosos com quem já conversei. Eu tive sorte de ele ter aceitado minha solicitação de amizade, pois muitas vezes ele recusa quando alguém pede pra ser amigo dele no feice. O que me atraiu foi a foto do Brad no perfil dele. Depois de eu bajular muito, o Mestre Otamir deixou que eu o visse pela webcam. Leitores, eu quase explodo sem acreditar: ele é um jovem de 27 anos lindo, magrinho, cabelos pretos. Faz faculdade no Rio de Janeiro e ultimamente vem levando uma vida muito boa deixando vários escravos lamberem seus pés chulezentos e lucrando com isso!

O Otamir só combinou encontro comigo depois que eu transferi R$ 200,00 para a conta dele. Pra mim não foi nenhum problema, pois sou um escravo rico e com apartamento próprio em São Paulo. Depois da reunião, paguei um quarto de hotel em Copacabanda e encontrei o mestre. Ele é muito mais lindo pessoalmente. Não é alto e calça 40. Vocês imaginam a sorte? Quem é um escravo gordo e velho como eu sabe por experiência o quanto de mestre feio existe pela internet afora. Ele estava todo suado pois tinha vindo de bicicleta! Imediatamente, assim que ele entrou no quarto, eu fiquei de joelhos. Ele apertou uma coleira amarela de cachorro em mim, prendeu minhas mãos com uma corda e me obrigou a limpar o All Atar dele com a lingua. Leitores, nem preciso comentar que só isso bastou para o meu pênis ficar mais duro do que nunca antes com meu antigo mestre.

 

Otarmir tirou a camisa e me obrigou a limpar o sovaco dele com a lingua. Estava muito suado da bicicleta e o desodorante já tinha vencido. Ele me dava tapas no rosto e cuspia em mim, mandando eu limpar direito, já que ele não queria tomar banho aquela noite. Minha lingua trabalhou muito. Eu fiquei comprando cervejas pra ele no hotel, enquanto ele relaxava assistindo televisão. Eu pedi para tirar o tênis dele apra dar um banho de lingua nos pés dele e ele respondeu, com cara de nojo, como se eu fosse um verme inferior nos pés dele, que só ia permitir se eu desse R$ 100,00 a mais pra ele. Imediatamente eu tirei o dinheiro da minha carteira e entreguei a ele. Minha recompensa para isso foi uma bofetada na cara e mais cuspe na boca, mas pelo menos pude tirar o All Star gasto do Otamir. Fiz isso com a boca, pois o Mestre não permitiu que minhas mãos fossem soltas.

Leitores, vocês não acreditam no chulé. Eu diria que o mestre usou aquela meia encardida a semana inteira! Eu fiz muito esforço pra não gozar, mas consegui me controlar e fazer uma massagem com a lingua. O cheiro do chulé era intenso e eu lambia, lambia e lambia. Eu acho que depois de quatro horas consegui deixar os pés deles mais limpos, engolindo todo aquele chulé e transferindo-o para a minha cara de verme. Eu dei de presente pro Otamir um tênis Nike e ele saiu usando-o sem meias (eu comprei as dele por mais R$ 50,00 pois queria me masturbar cheirando-as quando eu voltasse a São Paulo).

Até agora não consigo esquecer aquela tarde. Imagino o Otamir andando com aquele Nike sem meias e suando novamente seus pés perfeitos. Se eu pudesse, estaria de volta ao Rio, mas meu trabalho aqui chama. Enquanto isso, vou ficar mandando presentes pro meu Mestre Carioca para que quando eu volte lá, ele seja generoso e permita que eu experimente seu suor e seu chulé preciosos de novo.

 

Eu tirei várias fotos dos pés do Otamir com meu celular, pois vão ser muito boas para a masturbação com as meias, mas ele não permitiu que eu publicasse nenhuma delas =(

 

Leitores, agora vou bater uma com as meias do Otamir no nariz. Em breve, mais postagens. Desculpem o sumiço!

 

Desenhos podólatras gay

março 12, 2013

Leitores, o que pode sair da caneta de escravos artistas que querem expressar toda sua inferiorade com relação aos pés chulezentos dos machos? Abaixo, alguns dos meus preferidos:

carton1

Um escravo mais velho se desmancha de prazer com o chulé do jovem mestre skatista, que o prende numa coleira com corrente. Olhem só o toejam entre os dedos, só esperando a língua do escravo humilhado

carton3

Mestre treina dois escravos. O cheiro do suor dele, de suas meias, de suas chuteiras e do seu chulé parecem dizer: OBEY (obedeça)

carton4

Gay podólatra tem que dar conta de três jogadores de futebol suados e chulezentos.

carton5

Esste mestre tem tantos escravos que nem precisa tomar banho. A lingua deles já faz o serviço de limpar o suor das axilas e o chulé dos pés. Basta ele colcoar sua chuteira usada no pau que o cheio hipnotiza e deixa todos os escravos de quatro, prontos para qualquer serviço. O mestre relaxa com a massagem das línguas dos escravos inferiores e humilhados

carton6

Mestre executivo. A placa diz: “Pés cansados e com chulé? Relaxe e tenha um escravo: ele tira seus sapatos e meias, lambe seu suor, massageia seus pés com a língua, deixa seus sapatos brilhantes e ainda aplica uma loção”.

carton7

Uma “breve” lista de coisas para fazer para o escravo. Com prazer, mestre!

cartoon2

Um jovem jogador de futebol ainda quente do jogo pesado relaxa no rosto de um velho escravo.

01

HISTÓRIA EM QUADRINHOS 01: – Bom dia, mestre

02

HISTÓRIA EM QUADRINHOS 02: – Bom menino! Vá limpar meu tênis.
- Sim Mestre

03

HISTÓRIA EM QUADRINHOS 03: – Eu amo o gosto do seu chulé, senhor.
- Haha, você nem consegue parar de lamber para colocar meus tênis.
- Este é o meu lugar, senhor. Lambendo a sujeira das solas dos seus Nikes e o suor dos seus poderosos pés.
- Haha, patético.

xx

Dois executivos suados — e usando as mesmas meias a semana inteira — tiram vantagem do fetiche de um grupo de jovens gays podólatras sedentos por chulé e humilhação.

BRAD

março 10, 2013

Fotos exclusivas do mestre com o chulé mais perfeito do universo.

485165_334769289956718_639636618_n

brad brad1 brad2 brad3 brad4 brad5 brad6 brad7 brad8 brad9 brad10

1brad 2brad

001

Megaupload

janeiro 24, 2012

Como todos sabem, o megaupload, principal servidor onde temos compartilhado gratuitamente nossos videos podólatras preferidos, está fora do ar. Por ora, ótimos videos sendo postados pelo blog amigo http://machofoot.blogspot.com/

Mestre Shawn

dezembro 5, 2011

O video do Brad na praia é muito conhecido no meio da podolatria virtual (não completo, só alguns segundos dele que escaparam para o youtube), mas poucos sabem os detalhes que há por trás dele.

Trata-se de um video que mostra Brad, um jovem cruel, e alguns amigos indo à praia para o fim de semana. No carro, Brad, sentado ao lado do motorista, tira seus tênis e meias para relaxar. Todos no carro conseguem sentir o cheiro do seu chulé. Brad não sabe que entre seus amigos há um gay podólatra cujo sonho sempre foi cheirar e lamber os (verdadeiramente!) lindos pés do Brad. No banco de trás, seu pênis fica completamente ereto diante daquela cena paradisíaca e daquele cheiro tão ardentemente desejado.

 

 

 

 

 

 

 

Aqui podemos ver Brad, depois de todos terem chegado à região da praia. Ele deixou suas meias fedidas no carro e só calçou o tênis. Ele tenta subir em uma palmeira, o que faz seus pés ficarem mais suados ainda. Com muito tesão, seu amigo podolatra secretamente vai até o carro cheirar escondido as meias do Brad.

 

 

 

 

 

 

 

Indo aos céus, ele começa a bater uma punheta escondido no carro. Mas eis que Brad chega e o apanha no flagra. Que será que aconteceu depois? “Você gosta de chulé não é?”  Humilhação total, leitores! Brad conseguiu um escravinho submisso só para si.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hora de sentir o cheiro do sovaco do Brad (“você gosta do fedor, bichinha?”) e de dentro do seu tênis:

 

 

 

 

 

 

 

Que sonho, hein, leitores? Preso com força entre as pernas do Brad, cheirando seu sovaco suado e seu tênis chulezento!

Em seguida, Brad puxa o cabelo do escravo e o obrigaa continuar lambendo as solas. Dá pra ver que não restou nenhum toejam entre os dedos do Brad. Os pés dele acabaram limpinhos e relaxados, ao contrário da língua do seu escravo (cujo pênis não descansava ao longo dessa humilhação).

 

 

 

 

 

 

 

Por fim, antes de ir mergulhar no mar e ameaçar seu ex-amigo de contar a todos que ele é um porco gay e um verme que gosta de cheirar e lamber homens suados e com chulé, Brad pratica mais humilhação nas pedras: podemos ver a cara de nojo e malvada do Brad. Ele enfia sua meia suada completamente na bocado escravo, até ele se engasgar, sufoca ele com seu tênis fedido mais uma vez e, quando o escravo tenta lambê-lo, ele afasta, rindo cruelmente! É muita humilhação!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brad fez esse vídeo para o FXU. Na capa,podemos ver Brad em cima do carro em que chegaram à praia, com cara de nojo enquanto o escravo lambe seu chulé:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois desse video, ainda aceitou fazer outro, humilhando novamente o mesmo escravo sortudo. Até postei algumas fotos que consegui desse vídeo aqui. Já aqui, podemos ver a cena em que, nesse segundo vídeo, o escravo, ansiando pelos lindos pés do Brad, tenta tirar suas meias enquanto ele dorme depois de ter chegado exausto da balada. Os pés do Brad nesse vídeo estão particularmente suados e cansados. Prontos para terem o chulé limpo por uma língua submissa e dedicada.

Provavel e infelizmente leitores, Brad não fará mais vídeos, pois ele é hétero e só aceitou fazer esses porque precisava de grana na época e a única coisa que precisava fazer era humilhar e deixar nos pés um chulé que naturalmente já tinha para um escravo lamber. Choramos.

Exclusão

junho 2, 2011

Aviso que meu perfil do orkut foi deletado. Não vou voltar, o que é uma pena pois o orkut era uma ótima fonte do universo podólatra. O mais triste é que nunca adicionei ninguém cujo perfil não fosse voltado para a podolatria. Isso significa que quem me denunciou foi alguém “de fora”, alguém a quem eu nunca obriguei que visse minhas fotos, vídeos ou mensagens, alguém a quem eu nunca incomodei,  alguém que recebia um aviso de “perfil impróprio” quando tentava ver minha página, mas alguém que me achou simplesmente “errado” e só. Lá se vão, assim, álbuns e fotos de coleções que levaram muito tempo para juntar, comunidades e vídeos selecionados, etc, etc, etc… Espero que quem fique agora administrando minhas comunidades (principalmente a “Contos eróticos podólatras H x H“) tenha o mesmo carinho que eu. Eu sempre deletava tópicos chatos e irrelevantes. A comunidade sempre foi uma das mais movimentadas e ricas em conteúdo de podolatria do orkut e da internet.

Continuarei aqui, leitores, mas o ritmo é bem mais lento, como vocês já perceberam. Aqui podemos ser nós mesmos (por enquanto). Podemos dizer (ainda!) que gostamos de chulé e de pés de homem e isso nos faz bem, nos faz feliz. A exclusão do orkut é só o reflexo de uma exclusão mais generalizada.

Sinopse e cena: Mario, um podólatra gay, sempre quis ser escravizado por seu colega de trabalho. Não é que, de iguais, Mario passa a um completo inferior com relação a seu colega, porque consegue realizar seu sonho secreto? Mario guincha grotescamente de prazer, indefeso sob o chulé de seu colega, que agora exerce toda a atitude autoritária que ficava latente na relação prévia dos dois. Ele até (veja a imagem!) ajuda Mario a limpar seu toe jam ao abrir os dedos para a língua do escravo entrar. Um verdadeiro humilhador tirando proveito: “entre os dedos. Limpe”.

Download: clique aqui!

É preciso o RealPlayer para assistir e o WinRar para abrir.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.